About

sexta-feira, 21 de outubro de 2016

Ciclo de Tentas Comentadas 2016


Com o inicio do defeso, (re)começam as lides campestres na ilha Terceira, neste sentido, realizar-se-á a 10ª edição do Ciclo de Tentas Comentadas, uma organização conjunta que reúne a Tertúlia Tauromáquica Terceirense com as ganadarias participantes assim como as Juntas de Freguesia dos locais onde as mesmas se irão realizar. Importante veículo de aprendizagem e compreensão dos aspectos de selecção do gado bravo, este evento vem de encontro a um dos aspectos amplamente debatido no mundo taurino: a criação e formação de verdadeiros aficionados.

Este X Ciclo de Tentas Comentadas ocorrerá nos dias 22 e 23 de Outubro, nos tentaderos as Doze Ribeiras, (dia 22, às 11h00), Santa Bárbara (dia 22, às 17h00), Tentadero da Terra-Chã (dia 23, às 11h00) e na Praça de Toiros Ilha Terceira (dia 23, às 17h00).
Estarão em avaliação exemplares de Francisco Sousa, Rego Botelho, Casa Agrícola José Albino Fernandes e João Gaspar. Desempenharão função os Matadores Román e Alvaro Lorenzo, assim como os Picadores Simão Neves e José Faveira. A par desta tarefa campera, haverá actuação dos Cavaleiros Tiago pamplona e João Pamplona. Estarão também presentes o Grupo de Forcados Amadores da Tertúlia Tauromáquica Terceirense, assim como os Bandarilheiros da ilha Terceira. A comentar estará o crítico taurino Sr. Maurício do Vale.

Bruno Bettencourt

terça-feira, 2 de agosto de 2016

Triunfo com “P” maiúsculo: Passanha, Pamplona e Pires

Uma praça cheia assistiu aos triunfos da ganadaria Passanha, do Cavaleiro João Pamplona e de Manuel Pires do Grupo de Forcados Amadores do Ramo Grande. A Praça de Toiros “Ilha Terceira” acolheu desta forma mais uma edição da Corrida Concurso integrada nas Festas da Praia.

O curro era das ganadarias de Passanha (P), Casa Agrícola José Albino Fernandes (JAF) e Herdeiros de Ezequiel Rodrigues (ER). Apresentou-se desigual em termos morfológicos, no entanto, ao nível do comportamento todos cumpriram sem criar grandes dificuldades aos Cavaleiros. A destacar o de Passanha lidado em terceiro lugar.

Três bons ferros compridos, cravados por António Telles, abriram praça e foram o mote para uma boa lide a dar vantagens ao exemplar ER (nº339, 419Kg). O toiro investia de pronto, mas revelou-se distraído. Apesar de diminuído da mão direita, não se negou à luta. O da Torrinha foi-lhe entrando pelos terrenos, consentindo a investida no momento das reuniões e templando o ímpeto do oponente. Utilizou apenas uma montada durante a lide. Frente ao segundo do seu lote (P, nº104, 556Kg) chegou mais às bancadas. Lidou com maestria, mostrando o porquê de ser o expoente máximo do classicismo equestre português. O toiro apesar de ter uma investida curta na reunião foi colaborando, crescendo em termos de comportamento. Destaque para os dois ferros curtos com que encerrou a lide.

A presença de Ana Batista começou de forma um pouco nervosa. Aliada à dificuldade de colocação dos ferros compridos, pareceu haver algum problema no arpão dos mesmos. A lide resultou irregular e desacertada, encontrando-se apenas no final da mesma. Mexeu pouco com o oponente (JAF, nº393, 483Kg) que não complicou a tarefa, ficando reservado mercê da falta de uma lide mais adequada. Frente ao ER (nº330, 442Kg) esteve bem melhor. Em plano ascendente, foi palmilhando terreno e entendendo o toiro que também foi melhorando de comportamento, apesar da tendência em tapar-se na reunião. Muito correcta nas cravagens e a fazer vibrar as bancadas com os dois ferros com que encerrou a sua prestação.

João Pamplona agarrou a assistência logo na cravagem comprida. Sempre muito comunicativo, não tardou em ter as hostes do redondel angrense do seu lado. O toiro (P, nº118, 505Kg) foi-se alegrando ao longo da lide investindo de pronto e de forma franca. O Cavaleiro da Quinta do Malhinha esteve correcto na generalidade dos curtos. A cada cravagem faziam-se ouvir as bancadas, estando assim aberto o caminho para o triunfo. Destaque para a forma como escolheu os terrenos e para a forma como se adornou nas bregas. Apesar de menos emotiva, a lide frente ao JAF (nº365, 428Kg) também conquistou a preferência do público. Uma lide mais serena e igualmente eficaz, diante de um oponente que se prestou bem à luta investindo sempre que lhe era pedido. Uma nota positiva para o facto de em nenhuma das lides se ter deixado levar pela euforia do triunfo, não acedendo aos típicos “mais um”, quando se preparava para sair da arena.

O Grupo de Forcados Amadores de Lisboa revelou alguma ineficácia técnica na sua presença em terras açorianas. Duarte Mira pegou à segunda sem dificuldades, após uma primeira tentativa em que esteve mal na cara do toiro. Pedro Gil fechou-se à segunda com uma boa pega, depois do toiro lhe ter metido mal a cara na primeira vez que lá foi. João Galamba esteve precipitado na cara do toiro à primeira tentativa, agarrando o toiro a sesgo e à meia volta após três ensejos que apenas serviram para o brutalizar fisicamente. Pelo Grupo de Forcados Amadores do Ramo Grande pegou César Pires que se fechou bem à primeira, sem dificuldade. Luís Valadão, também à primeira, efectuou uma grande pega à córnea e a fechar o espectáculo, Manuel Pires fechou-se à primeira naquela que foi a pega da noite. Aguentou um derrote por alto e nunca mais largou o toiro que teimava em levá-lo para fora do grupo. Destaque para o primeiro ajuda que foi fundamental na realização da pega.

Dirigiu a corrida, com critério, Carlos João Ávila sendo assessorado pelo médico-veterinário José Paulo Lima. Abrilhantou, de forma eficaz, a banda da Sociedade Progresso Lajense.

O júri constituído por António Lopes, António Rijo e Duarte Bettencourt, decidiu:
- Melhor lide a cavalo: João Pamplona (lide ao 3º da ordem)
- Melhor Pega: Manuel Pires (GFARG)
- Melhor Apresentação: Passanha (nº104, 556Kg) lidado em 4º lugar
- Melhor Toiro: Passanha (nº118, 505Kg), lidado em 3º lugar

Bruno Bettencourt
Foto: António Valinho

sexta-feira, 8 de julho de 2016

Passanha em vez de João Gaspar nas Festas da Praia


A Organização da Corrida das Festas da Praia emitiu um comunicado onde indica que na referida Corrida Concurso de Ganadarias, que decorre no dia 01 de Agosto, às 18h30, na Praça de Toiros "Ilha Terceira", serão lidados dois toiros Passanha ao invés dos anunciados exemplares de João Gaspar. Segundo a referida missiva, tal substituição deve-se ao facto de ter morrido um dos exemplares de quatro anos da divisa terceirense.

No mesmo documento é referido que "as pessoas que já adquiriram bilhete e que, devido a esta alteração, não queiram assistir ao espectáculo, poderão devolvê-lo e ser ressarcidos, nos locais de venda de bilhetes."

O cartel é composto pelos Cavaleiros António Telles, Ana Batista e João Pamplona. As pegas estarão a cargo dos Grupos de Forcados Amadores do Ramo Grande e Amadores de Lisboa. Em praça, estarão presentes dois toiros de três ganadarias distintas, nomeadamente Passanha, Casa Agrícola José Albino Fernandes e Herdeiros de Ezequiel Rodrigues.

segunda-feira, 27 de junho de 2016

Video resumo da terceira corrida da Feira de S. João 2016


Aqui fica o video com o resumo da terceira corrida da Feira de São João:


“Casas comigo? Vai por ti!” – Crónica da terceira da Feira de S. João

A Corrida comemorativa do 50º aniversário da Tertúlia Tauromáquica Terceirense (TTT) decorreu agradável na generalidade. Na Praça de Toiros “Ilha Terceira” lidaram-se toiros da Casa Agrícola José Albino Fernandes (JAF) e de João Gaspar (JG) numa tarde fresca que ameaçava chuva.

O primeiro da tarde (JG, nº19, 429Kg) saía bem ao cite e empregava-se, no entanto foi-se reservando no final da lide, mercê de uma aparente lesão na mão direita. Gilberto Filipe aplicou-lhe uma lide correcta a procurar dar vantagens, mas sem aquecer a assistência e a passar quase despercebido com cravagens menos conseguidas. Com o quarto da ordem (JAF, nº415, 469Kg), o Cavaleiro de Alcochete esteve igual. Procurou sacar alguma coisa do oponente que se mostrou distraído e que investia com a cara alta, mas a lide não passou além da arena, não deixando de ser agradável apesar da pouca história.

O segundo toiro da tarde (JAF, nº404, 515Kg) estava muito bem apresentado e foi recebido à porta dos curros por Marcos Bastinhas. O ginete tirou partido da investida pronta do oponente e após dois ferros compridos de praça a praça, cravou um ferro curto da mesma forma. Uma boa lide a fazer vibrar o público angrense pela particularidade de ter efectuado as cravagens de um ferro de palmo e de dois pares de bandarilhas logo após o primeiro curto. O nº 413 JAF (410Kg) era pequenote, mas o Cavaleiro de Elvas esteve grande. O toiro investia de largo e dava boa réplica de si. A lide foi em crescendo tendo sido baseada em batidas ao piton contrário. Terminou a sua passagem triunfal pela Feira de S. João com mais um par de bandarilhas de frente.

João Pamplona recebeu um toiro cornalão (JG, nº12, 513Kg) que havia estado anunciado para a Corrida Concurso do dia anterior. O toiro saía de pronto mas parava-se na reunião, carregando pouco. João esteve ao seu jeito, a mostrar querer e a procurar o triunfo, chegando de boa forma às bancadas. Esteve correcto na preparação das sortes e na brega, no entanto terá usado velocidade a mais no momento das cravagens. O sexto da tarde (JAF, nº411, 484Kg) foi sem dúvida o melhor toiro da corrida. Tinha pata e deu luta investindo com codícia e vontade. João Pamplona esteve a gosto, mais sereno. Mexeu-lhe os terrenos e tirou partido das condições que tinha por diante. Terminou uma boa lide com o bom ferro curto a esperar e a cravar como mandam as regras.

Os forcados eram do Grupo de Amadores da Tertúlia Tauromáquica Terceirense (GFATTT) e do Grupo de Amadores de Turlock (GFAT) que este ano celebra 40 anos de existência e de perpetuação da cultura portuguesa em terras californianas. Abriu praça Carlos Vieira (GFATTT) que se fechou à primeira sem dificuldades. João Salvação (GFAT) que se apresentou fardado pelo grupo americano, pegou à quarta tentativa, mercê de cites um pouco precipitados e de falta de ajuda do grupo. Tomás Ortins (GFATTT) mostrou raça e pegou à primeira ao aguentar-se na cara do toiro, ainda que tivesse ficado com as pernas penduradas num dos pitons. David Sanchez (GFAT) pegou à primeira com valentia. Não fora o seu querer, a falta de grupo poderia ter prejudicado a concretização. João Silva (GFATTT) teve dose dupla. Brinda à namorada e pede-lhe em casamento para depois se fechar à primeira na cara do toiro, esteve muito bem o grupo a ajudar. Concretizada a pega, recebeu o desejado “Sim!” e a consequente ovação dos presentes. Fechou a tarde/noite George Martins (GFAT) com uma grande pega a mostrar técnica e a aguentar um derrote por cima. Uma vez mais valeu ao grupo a eficácia do forcado da cara.

Um reparo para o facto de não terem sido acesos os holofotes da praça. João Pamplona lidou o sexto da ordem quase às escuras.

Dirigiu a corrida Carlos João Ávila, tendo sido assessorado pelo médico-veterinário Vielmino Ventura. Abrilhantou a Corrida a Banda Filarmónica Lira Açoriana de Livingston (Califórnia). No intervalo foi descerrada uma lápide, no interior da praça, de forma a assinalar o 50º Aniversário da TTT.

E termina assim a Feira de São João de 2016!

Bruno Bettencourt
Foto: António Valinho

domingo, 26 de junho de 2016

Video resumo da Corrida Concurso de Ganadarias da Feira de S. João 2016


Aqui fica o video com o resumo da Corrida Concurso de Ganadarias da Feira de São João:

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More