About

sábado, 24 de dezembro de 2011

Bom Natal...

terça-feira, 20 de dezembro de 2011

PRÓTOIRO junta-se ao projecto Tauromaquia UNESCO

A Federação Portuguesa de Associassões Taurinas - PRÓTOIRO (da qual faz parte a Tertúlia Tauromáquica Terceirense) assinou um protocolo com a Cordinadora Internacional por la Tauromaquia (CIT), tendo em vista um trabalho conjunto na defesa dos toiros, permitindo coordenar as actividades que possibilitem uma melhor defesa da Tauromaquia em toda a sua abrangência.

A Coordinadora Internacional (CIT) trabalhará em conjunto com a PRÓTOIRO para que seja possível alargar o Projecto Tauromaquia-UNESCO em Portugal, a partir de onde a PRÓTOIRO intensificará, em conjunto com associações e aficionados, as actividades necessárias para estimular e colocar em marcha o processo de declaração da Tauromaquia como Património Cultural Imaterial de Portugal, trabalho este já iniciado através da declaração da "Capeia Arraiana" como Património Cultural Imaterial de Portugal.

Texto adaptado de Burladero.com

sábado, 3 de dezembro de 2011

"Faltam idade e varas aos toiros na Terceira"

Entrevista ao ganadeiro José Baldaya do Rego Botelho

A ganadaria Rego Botelho, na qual tem responsabilidades, acaba de arrecadar dois dos mais cobiçados prémios nacionais - a melhor ganadaria e o melhor toiro. Para chegar aqui, foi necessário um percurso. Quais os principais passos dessa caminhada?
Os principais passos foram: a ganadaria que existia ficou somente destinada à tradicional tourada à corda; tentamos criar uma base sólida para o toiro de lide e assim adquirimos a uma das ganadarias mais importantes do mundo, a Ganadaria de Jandilla, 55 vacas apuradas e vários sementais; a construção de um novo tentadero com melhores condições de maneio e num lugar mais resguardado, o que nos facilitou, ao longo dos anos, uma seleção muito mais criteriosa. Pensamos que o incremento pecuário do nosso efetivo é um motivo de valorização das nossas explorações pecuárias, o que constitui um regozijo ao nosso trabalho enquanto ganadeiros e aficionados. A responsabilidade que estas distinções nos trazem são um incentivo para continuarmos no trilho das nossas escolhas.

Estas distinções poderão abrir as portas da vossa ganadaria às praças portuguesas. É vosso objetivo apostar nessa oportunidade?
Não, não é nosso objetivo, aliás porque as portas nunca estiveram fechadas, apenas decidimos apostar nesta altura porque tínhamos uma camada maior e condições para tal, não defraudando os compromissos que temos nos Açores. No entanto, o toiro bravo não conhece limites geográficos e é gratificante observarmos que o nosso trabalho é apreciado por outros locais onde somos solicitados. Uma coisa é certa: estas distinções não alteram em nada os nossos critérios. Selecionamos com o mesmo rigor de sempre...

A temporada taurina na Terceira faz-se sobretudo com corridas à corda, modelo que exige um tipo específico de toiro. Essa realidade pode limitar o vosso trabalho no apuro dos animais para as exigências da praça?
Não, porque nós temos a ganadaria dividida em duas linhas completamente definidas. Entenda-se que o toiro de lide e o toiro de corda divergem na grande maioria dos seus caracteres. Diferenciam-se na sua morfologia, no comportamento e na sua atitude combativa. Isto não significa que os animais não tenham um fundo de bravura "pura" semelhante; a pedra de toque entre as duas modalidades ganadeiras é a seleção, substancialmente diferente entre o toiro de corda e o toiro de lide, mas de exigência semelhante com vista à obtenção de resultados positivos.

A época de praça nos Açores ameaça todos os anos com um "boom", mas nunca acontece. O que nos falta para dar o salto?
Do ponto de vista estritamente ganadeiro e no que a nós diz respeito, sou da opinião que esse "boom" já se deu. Na realidade, os resultados apresentados em praça, sobretudo nos últimos anos, julgo serem reveladores que a nossa ganadaria atravessa um bom momento, o que nos deixa muito contentes pelo contributo que essa realidade tem vindo a transmitir ao espetáculo. No entanto e para que o referido "boom" seja completo, é importante realçar que existem outras condicionantes sem as quais dificilmente conseguiremos por inteiro tal objetivo, como sejam lidar os toiros com idade (quatro anos) nas corridas apeadas, submetendo-os necessariamente à sorte de varas. Só assim conseguiremos trazer figuras de primeiro plano à ilha Terceira. Reunidas estas condições, a nossa festa poderá passar a ter a tão desejada relevância no circuito mundial do toureio.

terça-feira, 29 de novembro de 2011

RB a melhor no Campo Pequeno...

O Real Clube Tauromáquico Português elegeu os vencedores dos Galardões 2011 da temporada na Praça de Toiros Campo Pequeno, de entre a lista de nomeados pelos abonados da temporada.
O prémio de Melhor Ganadaria será entregue à divisa terceirense de Rego Botelho, pelo curro apresentado na arena daquela praça a 19 de Maio. Esta mesma ganadaria receberá o prémio de Melhor Toiro, atribuido ao "Guarda" nº17, nascido em 2007 e que foi lidado naquela noite pelo Matador António Ferrera, contribuindo para uma lide poderosíssima.

Serão ainda distinguidos:
Prémio "Prestígio": Mário Freire (a título póstumo);
Melhor Cavaleiro: Luis Rouxinol;
Melhor Matador: António Ferrera;
Melhor Novilheiro: Tiago Santos;
Melhor Forcado: João Brito (G.F.A. de Santarém);
Melhor Grupo de Forcados: G.F.A. de Montemor;
Melhor Peão de Brega: David Antunes.

Sem dúvida, este é o grande final daquela gloriosa noite de 19 de Maio e acima de tudo é um prémio que reconhece toda a entrega e dedicação ganadera da família Rego Botelho ao longo de quase 60 anos. Para que fosse possível apresentar um curro com aquele nível, muito trabalho foi necessário, tanto ao nível de selecção como de criação. Uma vez mais a divisa azul e branca vê reconhecido o bom momento que vem a atravessar. Que este seja, não o culminar de todo um trabalho, mas sim o impulso para que se continue o que tem sido feito.
Os meus parabéns à Casa Rego Botelho e que muitos mais "Guardas" nasçam nas pastagens da Caldeira do Guilherme Moniz.

Bruno Bettencourt
Foto: Flávio Oliveira

quarta-feira, 23 de novembro de 2011

Curiosidades Taurinas: Pasodobles em Las Ventas...

Na Praça de Touros das Las Ventas, em Madrid, não é atribuída música durante as lides. A banda apenas se faz ouvir quando um Matador ou Cavaleiro/Rojoneador dá a volta à arena como sinal de triunfo.

Este facto remonta ao dia 24 de Maio de 1939, dia da chamada “Gran Corrida de la Victoria”, primeiro festejo realizado naquela praça, depois da Guerra Civil espanhola. No cartel constavam os nomes de Antonio Cañero (Rojoneador) e os Matadores Marcial Lalanda, Vicente Barrera, Pepe Amorós, Domingo Ortega, Pepe Bienvenida e Luís Gómez, "El Estudiante". Conta a história que no decorrer da faena de Marcial Lalanda, ante o primeiro toiro da tarde, foi pedida música pelos partidários do mesmo. Apesar de se estar a assistir a uma lide monótona, por indicação da presidência da corrida, a banda interpretou o pasodoble dedicado ao referido Matador. Ao invés, frente ao quarto toiro da corrida, Domingo Ortega realizou uma faena de antologia, sem que se ouvisse qualquer nota da banda de música. Este facto resultou em ruidosos protestos dos partidários de Ortega, registando-se confrontos entre os dois grupos de apoiantes.

Para que tal acontecimento não se repetisse, daí em diante, decidiu-se que a banda permaneceria em silêncio durante as lides na Monumental de Las Ventas. Esta regra ainda hoje se mantém, tendo sido apenas quebrada no dia 16 de Novembro de 1966, numa corrida em que actuou como único Matador António Mejías “Bienvenida”. Após ter cravado 3 soberbos pares de bandarilhas ao sexto toiro da corrida, brindou a seu irmão Pepe “Bienvenida” e, com indicação da presidência, a banda de música fez soar as notas de um pasodoble.

terça-feira, 22 de novembro de 2011

Foto do Mês - Novembro de 2011

Tourada à Corda, Largo de São Bento - Angra do Heroísmo, início do séc. XX

sábado, 12 de novembro de 2011

O último fim-de-semana em Barcelona

Publicado a 12 de Novembro de 2011
Aqui publicamos uma mensagem do Presidente da Direcção da Tertúlia Tauromáquica Terceirense:

"Estimados aficionados,

O programa Tendido Cero, que podem ver no link abaixo, relata a História da último fim de semana taurino em Barcelona a 24 e 25 de Setembro.

É uma reportagem que revela a grandeza da Festa e dos Aficionados que souberam, na hora do adeus imposto pela hipocrisia da política, festejar e celebrar a Festa na sua maior magnitude!!!

O misto de emoções como tristeza, revolta e esperança gerou, entre o público e os toureiros, uma química especial, uma aura de afirmação do orgulho de sermos taurinos! De sabermos que esta nossa cultura é algo muito especial e profundo! Quis Deus que as duas últimas corridas tenham sido um estrondoso êxito, atingindo um nível épico.

Por tudo isto vale a pena ver o programa que é dirigido ele próprio com muita arte, sentimento e emoção, enfim, com toreria!!! Uma reportagem maravilhosa!


Arlindo Teles
Tertúlia Tauromáquica Terceirense"

Barcelonarena - documentário

Publicado a 12 de Novembro de 2011

terça-feira, 8 de novembro de 2011

"Morarte, Historia de un encuentro"

Publicado a 07 de Novembro de 2011
"Morarte, Historia de un encuentro" é novo documentário sobre Morante de la Puebla. Com a duração de 50 minutos, esta obra permitirá "conhecer mais sobre o homem e toureio de referência que representa nos dias de hoje".

MORARTE. Historia de un encuentro from Ander Duque on Vimeo.

quarta-feira, 2 de novembro de 2011

Ramo Grande e Rego Botelho premiados

Publicado a 02 de Novembro de 2011

A Tertúlia Tauromáquica Nossa Senhora do Carmo de Sousel anunciou a lista de triunfadores de 2011, eleitos pelos membros da mesma.
A entrega dos prémios ocorrerá no dia 28 de Janeiro 2012.

TRIUNFADORES 2011

Melhor Cavaleiro - João Moura
Melhor Cavaleiro Praticante - João Maria Branco
Melhor Cavaleiro Amador - Miguel Moura
Cavaleiro Revelação Alternativa - Tomas Pinto
Cavaleiro Revelação Praticante - João Soller Garcia
Cavaleiro Revelação Amador - David Gomes
Cavaleiro Internacional - João Moura Jr / Rui Fernandes

Peão de Brega - David Antunes
Melhor Matador de Touros - Luís Vital Procuna
Melhor Novilheiro - Tiago Santos

Melhor Grupo de Forcados: Grupo de Forcados Amadores Alcochete
Melhor Forcado: João Pedro Tavares (GFA Montemor-o-Novo)
Grupo de Forcados Revelação: Grupo de Forcados do Aposento dap Chamusca
Forcado Revelação: Manuel Pires (Grupo Forcados Amadores Ramo Grande)
Prémio Para Melhor pega Troféu TTNS Carmo Corrida de 2ª Feira de Pascoa: Fábio Meira (Grupo de Forcados Amadores de Arronches)

Melhor Ganadaria: Passanha
Prémio Bravura 2011: Touro Nº 17 da Ganadaria Rego Botelho lidado no dia 19 de Maio 2011 no Campo Pequeno

Prémios Imprensa: Arte e Emoção, Jornal Olé, Diário Taurino, SoleSombra e Sortesdegaiola.Blogspot.com
Melhor Empresa: Aplaudir

Homenagens:
Amâncio Grilo
João José
Sabino Berlixa
Francisco Romão Tenorio
Grupo de Forcados Amadores Real de Moura

Troféu Aficion: João António Ramos e Club Taurino do Agrupamento de Escolas de Alter Chão

Galardão "Destaque" para Tertúlia Tauromáquica Terceirense

Publicado a 02 de Novembro de 2011
A Praça de Toiros de Sobral de Monte Agraço foi palco da entrega de troféus atribuídos pela Tertúlia Tauromáquica Sobralense aos triunfadores da temporada.
Foram distinguidos:
- Cavaleiro: Luis Rouxinol,
- Novilheiro: Manuel Dias Gomes
- Grupo de Forcados: Amadores de Coruche
- Ganadaria: Falé Filipe.

- Galardões "Destaque":
Tertúlia Tauromáquica Terceirense,
Joaquim Alves (ganadero)

- Menções Honrosas:
João José (bandarilheiro)
Tiago Santos (novilheiro)

De regresso...

Publicado a 02 de Novembro de 2011
Após mais de um mês de ausência, o Rabo Torto - Blogue Tauromáquico voltou!
Esta ausência forçada deveu-se a uma série de ataques informáticos, mal intencionados, que dificultaram a manutenção e acesso a este espaço.
Agora que tudo parece resolvido, vamos em frente! Olé!

Bruno Bettencourt

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

José Tomás em Barcelona...

Publicado a 26 de Setembro de 2011


Aqui ficam alguns dos momentos da grande faena de José Tomás naquela que foi, eventualmente, a última corrida de toiros efectuada na sua praça talismã: Barcelona...


quarta-feira, 21 de setembro de 2011

Insólitos taurinos (I)

Publicado a 21 de Setembro de 2011



O Matador de toiros El Fandi, conhecido por ser exímio no tércio de Bandarilhas, desempenhou uma lide (literalmente) completa...

quinta-feira, 1 de setembro de 2011

Touradas à Corda em Setembro

Publicado a 01 de Setembro de 2011



Quinta-feira, 01 de Setembro
Rua das Pedras, Cabo da Praia
Rego Botelho

Raminho
Casa Agrícola José Albino Fernandes

Rua do Açougue, Santa Bárbara
Herdeiros de Ezequiel Rodrigues (bezerrada)

Sexta-feira, 02 de Setembro
Vila Nova
Casa Agrícola José Albino Fernandes

Sábado, 03 de Setembro
Outeiro do Galhardo, Ladeira Grande
Casa Agrícola José Albino Fernandes

Santa Bárbara
Herdeiros de Ezequiel Rodrigues
Rego Botelho
Humberto Filipe
João Quinteiro

Cabo da Praia
Manuel João Rocha

Serra de Santiago, Lajes
Casa Agrícola José Albino Fernandes

Domingo, 04 de Setembro
Caminho de São João, Casa da Ribeira
Humberto Filipe

Porto de São Mateus
Eliseu Gomes

Segunda-feira, 05 de Setembro
Terreiro de São Bartolomeu
Herdeiros de Ezequiel Rodrigues

Terça-feira, 06 de Setembro
Altares
Herdeiros de Ezequiel Rodrigues (vacada)

Santa Luzia, Praia da Vitória
Casa Agrícola José Albino Fernandes (vacada)

Quarta-feira, 07 de Setembro
Santa Luzia, Praia da Vitória
Casa Agrícola José Albino Fernandes

Às Presas, Altares
Casa Agrícola José Albino Fernandes
Herdeiros de Ezequiel Rodrigues


Quinta-feira, 08 de Setembro
Santa Luzia, Praia da Vitória
Casa Agrícola José Albino Fernandes

Ao Lugar, Altares
Casa Agrícola José Albino Fernandes
Herdeiros de Ezequiel Rodrigues

Sexta-feira, 09 de Setembro
Ribeira Seca
Humberto Filipe

Sábado, 10 de Setembro
Ribeira Seca
Humberto Filipe

Terreiro de São Bartolomeu
Herdeiros de Ezequiel Rodrigues

Desterro, Conceição
Eliseu Gomes

Rua do Picão, Lajes
João Quinteiro

Domingo, 11 de Setembro
Estrada 25 de Abril, Praia da Vitória
Casa Agrícola José Albino Fernandes

Vinha Brava, Conceição
Rego Botelho

Segunda-feira, 12 de Setembro
Lapinha, Vinha Brava
Rego Botelho

Penha de França, Pico da Urze
Humberto Filipe
João Gaspar


Praça da Serreta
Eliseu Gomes

Quarta-feira, 14 de Setembro
Largo da Igreja, Serreta
Eliseu Gomes

Quinta-feira, 15 de Setembro
Praça da Serreta
Eliseu Gomes (bezerrada)



Sábado, 17 de Setembro
Serretinha, Feteira
Eliseu Gomes
Humberto Filipe

Arrabalde, São Sebastião
Casa Agrícola José Albino Fernandes

Parque da Praça da Toiros “Ilha Terceira”
Eliseu Gomes
Casa Agrícola José Albino Fernandes

Rua das Amoreiras, Praia da Vitória
Humberto Filipe

Largo da Igreja, São Brás
Eliseu Gomes

Domingo, 18 de Setembro
Doze Ribeiras
Daniel Nogueira

Segunda-feira, 19 de Setembro
Caminho do Concelho, Biscoitos
Herdeiros de Ezequiel Rodrigues

Terça-feira, 20 de Setembro
Pesqueiro, São Bartolomeu
Herdeiros de Ezequiel Rodrigues

Praça de Santo António, Biscoitos
Herdeiros de Ezequiel Rodrigues (vacada)

Quarta-feira, 21 de Setembro
Caminho do Concelho, Biscoitos
Nelson Toste

Largo do Porto Martins
Herdeiros de Ezequiel Rodrigues

Quinta-feira, 22 de Setembro
Caminho do Concelho, Biscoitos
Gabriel Ourique

Largo do Porto Martins
Casa Agrícola José Albino Fernandes

Sábado, 24 de Setembro
Porto Martins
Casa Agrícola José Albino Fernandes

Rua dos Boiões, Biscoitos
Nelson Toste

Pesqueiro, São Bartolomeu
Herdeiros de Ezequiel Rodrigues

Desterro, Conceição
Eliseu Gomes

Domingo, 25 de Setembro
Porto dos Biscoitos
Herdeiros de Ezequiel Rodrigues

Segunda-feira, 26 de Setembro
São Carlos
Casa Agrícola José Albino Fernandes
Rego Botelho

Terça-feira, 27 de Setembro
Canada das Mercês, Feteira
Humberto Filipe (bezerrada)

Figueiras do Paim, Praia da Vitória
Casa Agrícola José Albino Fernandes (vacada)

Quarta-feira, 28 de Setembro
Figueiras do Paim, Praia da Vitória
Casa Agrícola José Albino Fernandes

Quinta-feira, 29 de Setembro
Figueiras do Paim, Praia da Vitória
Herdeiros de Ezequiel Rodrigues

Canada das Mercês, Feteira
Humberto Filipe

Sexta-feira, 30 de Setembro
Canada das Mercês, Feteira
Humberto Filipe

Figueiras do Paim, Praia da Vitória
Rego Botelho

segunda-feira, 29 de agosto de 2011

Ramo Grande: Melhor Grupo em Arronches

Publicado a 29 de Agosto de 2011


O Grupo de Forcados Amadores do Ramo Grande arrecadou na passada sexta-feira, dia 26 de Agosto, em Arronches, o prémio para "Melhor Grupo". A corrida contou com toiros de Paulo Caetano para as lides a cavalo de Marco José, João Moura Caetano e João Branco (praticante). Foram ainda premiados: "Melhor Pega" - Amadores de Arronches (Manuel Cardoso), "Melhor Primeiro Ajuda" - Amadores de Portalegre (Rui Varela) e "Melhor Rabejador" - Amadores de Portalegre (Gonçalo Louro).

Foto: Hugo Teixeira

sexta-feira, 26 de agosto de 2011

Forcados do Ramo Grande feridos em Baião

Publicado a 26 de Agosto de 2011




Quatro forcados do Grupo de Forcados Amadores do Ramo Grande ficaram feridos durante uma corrida de touros realizada em Baião.

As vítimas, com idades entre 26 e 31 anos, foram assistidas no Hospital Padre Américo - Vale do Sousa, em Penafiel, após terem sido observadas no Hospital do Marco. A vítima mais grave é Adriano Toste, com 26 anos, que sofreu fracturas em três costelas mas está livre de perigo.

Também Alexandre Rocha, de 31 anos, esteve a ser observado, devido a ferimentos na cabeça, mas já teve alta.

A notícia dos ferimentos de quatro forcados do Grupo do Ramo Grande mereceu honra de destaque fotográfico do Jornal de Notícias, na edição de 4ª feira, sendo que a notícia explicava que os forcados terceirenses sentiram muitas dificuldades em pegar três touros da ganadaria Santos Lima, numa corrida em Baião.

O primeiro touro apenas foi dominado à quarta tentativa, provocando dois feridos no grupo, enquanto o terceiro touro causou os ferimentos mais graves para os forcados da ilha Terceira.

“Foram todos pelo ar”, explicou uma das pessoas que assistiu à corrida de touros. O terceiro touro foi lidado pela cavaleira Sónia Matias e segundo uma fonte do JN “o touro estaria ainda muito fresco para os braços dos forcados açorianos”.

Fonte: A União
Foto: Jornal de Notícias

segunda-feira, 22 de agosto de 2011

Amadores do Ramos Grande hoje em Samora Correia

Publicado a 22 de Agosto de 2011



O Grupo de Forcados Amadores do Ramo Grande pega hoje, dia 22, numa corrida a realizar em Samora Correia. Em competição, para o prémio de Melhor Pega, estarão ainda os Amadores da Moita e de Salvaterra. Serão lidados toiros de Dolores Aguirre. A cavalo estarão José Manuel Duarte, Tito Semedo, Marco José, Gilberto Filipe, Tiago Martins e Nelson Limas. Esta será a primeira das três apresentações do GFARG no continente português.
Amanhã, dia 23, será a vez de se apresentarem novamente na praça de Baião. O cartel contará com Francisco Cortes, Marco José, Sónia Matias, os Forcados do Ribatejo e de Coimbra. Os toiros serão de Santos Lima.
No dia 26, o grupo participa em Arronches num concurso de pegas, frente a toiros de Paulo Caetano. A cavalo estarão Marco José, João Moura Caetano e o praticante João Maria Branco. Além do grupo terceirense, pegarão os grupos de Arronches e o de Portalegre. Em disputa estarão os prémios de Melhor Pega, Melhor Grupo, Melhor Primeira Ajuda e Melhor Rabejador.

Bruno Bettencourt

terça-feira, 16 de agosto de 2011

Passes de uma vida de risco

Publicado a 16 de Agosto de 2011


No bilhete de identidade, o nome é Joaquim Gonçalves Lastim. No conhecimento popular, é Joaquim Burra Branca, um dos mais afamados capinhas da Terceira. Burra Branca, fica a explicação, advém do cabelo grisalho precoce.
O estatuto de capinha conquistou, desde miúdo, à conta de muitos passes à frente de toiros em praticamente todas as freguesias da ilha.
Juntamente com o pai, o então jovem Joaquim Burra Branca não falhava nenhuma toirada à corda. Situando a história no tempo, recua-se pelo menos seis décadas e fica a memória, na primeira pessoa, de uma época em que se ia aos toiros "a pé ou de carroça", porque automóveis era regalia só para meia dúzia de afortunados.
Ao fulgor próprio dos verdes anos, juntaram-se os inevitáveis desencantos da vida. O ferimento num joelho e o falecimento da mãe esmoreceram-lhe a vontade de ser capinha. O povo manifestou pena pela retirada e um aficcionado, para que Joaquim Burra Branca voltasse a ser capinha, ofereceu-lhe dois fogões primos.

Elogios só para o passado
Joaquim Burra Branca, funcionário da Casa Agrícola José Albino Fernandes há cerca de meio século, tem 80 anos de idade, tendo dado o “último passe” há três anos no Corpo Santo.
Uma coisa é certa, segundo Joaquim Burra Branca: "à saída das gaiolas, qualquer um pode brincar com o toiro", uma vez que o animal vem desorientado e quer é correr o mais possível.
A seguir, é que entra a perícia do capinha em acção. "É preciso marcar o toiro e escolher a melhor posição" - explica Burra Branca, ao mesmo tempo que tira o chapéu a capinhas do "tempo antigo" - Manuel Barrela, João Rosário, José Friza, Paulo Adura, José Chinelo, Agostinho da Fonte Bastardo, Dimas de Santa Bárbara, Prosa e Gabriel Patachon.A reverência pelo passado não tem, contudo, continuação no presente. "Não posso gabar nenhum dos capinhas actuais " - sentencia, de forma peremptória, Joaquim Burra Branca.Os argumentos para a avaliação são mais que muitos. Antigamente, os capinhas davam quatro/cinco passes com o guarda-sol, sendo que hoje são às dezenas.
No "seu tempo", adianta, os capinhas tinham a preocupação de levar o toiro à parede, investindo contra os muros dos quintais, enquanto que agora o animal não sai do meio da rua."Os capinhas trabalhavam em conjunto, defendendo o toiro. Agora, os toiros ficam tontos com tantos passes" - lamenta Joaquim Burra Branca, lançando ainda farpas à "forma descuidada" como os capinhas se apresentam nas toiradas.A indumentária correcta, no seu entender, passa por um casaco e um guarda-sol, de preferência com a cor preta.Actualmente, vê os capinhas de guarda-sóis com cores berrantes, cobertores, papelões e sacas para os passes aos toiros que já não se sentem à vontade com caminhos de alcatrão em vez dos antecedentes de terra batida.
"Fico como lume quando vejo as pessoas bater palmas porque o toiro está de pernas para o ar" - confessa o desassossego de um homem habituado a cumprir outras regras: "o toiro era para os capinhas e a corda para os pastores".
"Não vejo futuro para esta mocidade de capinhas e o povo percebe cada vez menos de toiradas" - são as conclusões de Joaquim Burra Branca, que afirma convictamente "nunca ter sentido medo do toiro".
Foi pegado umas quantas vezes e teve de ser submetido a uma delicada intervenção aos testículos. Há uns anos, na ainda freguesia das Lajes, um zeloso sub-chefe da PSP não queria dar ordem para que o primeiro toiro saísse face à presença de um idoso junto às gaiolas. O povo apercebeu-se que o idoso em questão era o Burra Branca e foi a gargalhada geral.
O toiro lá saiu e o experimentado capinha deu o show de costume. "Foi palmaria brava" - recorda Joaquim Burra Branca, homem que se namorou mas nunca chegou ao altar."As raparigas diziam que ser capinha era muito perigoso e que eu ia morrer novo. Eu ainda cá estou. Lá em cima, Deus é que sabe..." - concretiza.

Toiros, alcunhas e "Avião da Palheta"
Os toiros são conhecidos, nas ganaderias, através da atribuição de números.
Porém, e face a peripécias vividas nas toiradas, o povo não se coíbe de acrescentar algumas alcunhas.O "Alfaiate", por exemplo, pegou num alfaiate. O "Americano", a mesma coisa e o "Assassínio" ganhou nome feio por ter morto um homem.
A mais curiosa alcunha será, porventura, a de "Avião da Palheta". A história é simples: em dia de corrida em São Brás, o toiro fugiu e obrigou o ganadero, José Albino Fernandes, a mover-lhe uma perseguição, que envolveu a participação de um helicóptero.
Mesmo com um atraso considerável à mistura, o dito toiro lá marcou presença em São Brás para gáudio do povo...

João Rocha in A União
Foto: Paulo Almeida

quinta-feira, 11 de agosto de 2011

Feira da Graciosa 2011

Publicado a 11 de Agosto de 2011






quinta-feira, 4 de agosto de 2011

Sugestão de leitura...

Publicado a 04 de Agosto de 2011


A Tauromaquia está presente nas mais diversos contextos artísticos. Aqui fica uma sugestão de leitura: "Verão Perigoso", da autoria de um nome incontornável da literatura mundial e amante da Festa: Ernest Hemingway.

Sinopse:
"Em 1959, a revista Life encarregou Ernest Hemingway de fazer a cobertura de um acontecimento extraordinário que ia ter lugar em Espanha, durante esse Verão. Com efeito, estava previsto que aí se defrontassem, na arena, dois dos maiores e mais célebres toureiros de todos os tempos, Antonio Ordóñez e Luís Miguel Dominguin. Para Hemingway, tratava-se de retomar um tema clássico: um campeão lendário que enfrentava um jovem que o vinha desafiar. Hemingway viveu durante alguns meses junto dos dois toureiros e do seu círculo de amizades. E a reportagem que escreveu, muito maior do que aquela que a revista lhe tinha encomendado, acabou por tornar-se neste livro, uma das suas obras-primas e o seu derradeiro grande livro, antes de suicidar-se no ano seguinte. Verão Perigoso completa a série de livros que Hemingway dedicou à arte do toureio. Os outros dois são O Sol Nasce Sempre (Fiesta) e Death in the Afternoon."

terça-feira, 2 de agosto de 2011

Touradas à Corda em Agosto

Publicado a 02 de Agosto de 2011

Segunda-feira, 01 de Agosto
Juncal, Sta. Cruz
Casa Agrícola José Albino Fernandes
Humberto Filipe
(vacada)

Terça-feira, 02 de Agosto
Regatos, São Bartolomeu
Herdeiros de Ezequiel Rodrigues

Juncal, Sta. Cruz
Casa Agrícola José Albino Fernandes

Quarta-feira, 03 de Agosto
Juncal, Sta. Cruz
Humberto Filipe

Quinta-feira, 04 de Agosto
Largo de Santo António, Porto Judeu
Rego Botelho

Sexta-feira, 05 de Agosto
Rua Gervásio Lima, Praia da Vitória
Casa Agrícola José Albino Fernandes
Gabriel Ourique

Sábado, 06 de Agosto
Rua Padre Rocha de Sousa, Praia da Vitória
Herdeiros de Ezequiel Rodrigues
Humberto Filipe
João Cardoso Gaspar
Gabriel Ourique


Domingo, 07 de Agosto
Areal da Praia da Vitória
Herdeiros de Ezequiel Rodrigues

Segunda-feira, 08 de Agosto
Terreiro da Terra-Chã
Eliseu Gomes

Terça-feira, 09 de Agosto
Arco, São Bento
Francisco Sousa

Quarta-feira, 10 de Agosto
Caminho da Igreja, Doze Ribeiras
Eliseu Gomes

Quatro Ribeiras
Casa Agrícola José Albino Fernandes

Quinta-feira, 11 de Agosto
Estrada 25 de Abril, Sta. Cruz
João Cardoso Gaspar
Álvaro Amarante (S. Jorge)
Valentim Santos (Graciosa)
Fernando Bettencourt (Pico)

Quatro Ribeiras
Casa Agrícola José Albino Fernandes

Sábado, 13 de Agosto
Arco, São Bento
Manuel João Rocha

Biscoitinho, São Mateus
Eliseu Gomes

Cabouco, Fontinhas
Humberto Filipe

Domingo, 14 de Agosto
Caminho da Vila, Porto Judeu
Humberto Filipe
Herdeiros de Ezequiel Rodrigues

Ribeira da Areia, Vila Nova
Humberto Filipe

Segunda-feira, 15 de Agosto
Cais do Porto de Pescas de São Mateus
Eliseu Gomes (Bezerrada)

Largo da Igreja de Santa Bárbara
Humberto Filipe

Rua Dr. Aníbal Bettencourt, Conceição
Eliseu Gomes

Serra de Santiago, Lajes
Herdeiros de Ezequiel Rodrigues

Terça-feira, 16 de Agosto
Rua da Igreja, Agualva
Rego Botelho

Quarta-feira, 17 de Agosto
Cinco Ribeiras
Humberto Filipe

Canada das Mercês, Feteira
Casa Agrícola José Albino Fernandes (bezerrada)

Rua do Cruzeiro, Agualva
Herdeiros de Ezequiel Rodrigues

Quinta-feira, 18 de Agosto
Rua da Igreja, Agualva
Casa Agrícola José Albino Fernandes

Sábado, 20 de Agosto
Porto de Pescas de São Mateus
Eliseu Gomes

Canada de Santo António, Posto Santo
Herdeiros de Ezequiel Rodrigues
Humberto Filipe
Gabriel Ourique
Manuel João Rocha

Lajinha, Feteira
Casa Agrícola José Albino Fernandes

Domingo, 21 de Agosto
Porto de Pescas de São Mateus
Eliseu Gomes

Lajinha, Feteira
Casa Agrícola José Albino Fernandes

Canada da Ajuda, Santa Bárbara
Herdeiros de Ezequiel Rodrigues

Estrada 25 de Abril, Sta. Cruz
Casa Agrícola José Albino Fernandes

Segunda-feira, 22 de Agosto
Rua Ilha de S. Miguel, Conceição
Manuel João Rocha
Nelson Toste
(Bezerrada)

Canada das Roças, Posto Santo
António Lúcio

S. Brás
Herdeiros de Ezequiel Rodrigues
Humberto Filipe
(vacada)

Terça-feira, 23 de Agosto
Terreiro do Posto Santo
Herdeiros de Ezequiel Rodrigues
Humberto Filipe
Gabriel Ourique
Manuel João Rocha

Fonte do Bastardo
Rego Botelho

Às Pias, São Brás
Herdeiros de Ezequiel Rodrigues
Humberto Filipe

Quarta-feira, 24 de Agosto
Fonte do Bastardo
Casa Agrícola José Albino Fernandes

Às Pias, S. Brás
Herdeiros de Ezequiel Rodrigues

Quinta-feira, 25 de Agosto
Fonte do Bastardo
Rego Botelho

Sexta-feira, 26 de Agosto
Covões, Posto Santo
António Lúcio

Sábado, 27 de Agosto
Fajã do Ficher, Feteira
João Cardoso Gaspar
Manuel João Rocha
João Gaspar

Guerrilhas, Terra-Chã
Daniel Nogueira

Caminho do Posto Santo
António Lúcio

Rua Padre Lucas, S. Brás
Humberto Filipe

Rua do Regelo, Fonte do Bastardo
Herdeiros de Ezequiel Rodrigues

Domingo, 28 de Agosto
Rua do Biscoito, Fonte do Bastardo
Eliseu Gomes

Canada da Fonte, Biscoitos
Humberto Filipe

Segunda-feira, 29 de Agosto
Vila Nova
Eliseu Gomes

Terça-feira, 30 de Agosto
Terreiro Santo, Vila Nova
Herdeiros de Ezequiel Rodrigues

Canada do Saco, Cabo da Praia
Rego Botelho (vacada)

Ladeira Grande, Ribeirinha
Rego Botelho
Casa Agrícola José Albino Fernandes

Quarta-feira, 31 de Agosto
Às Oito, Santa Bárbara
Herdeiros de Ezequiel Rodrigues

Vila Nova
Humberto Filipe

Rua das Pedras, Cabo da Praia
Rego Botelho

segunda-feira, 1 de agosto de 2011

Esta noite...

Publicado a 01 de Agosto de 2011

terça-feira, 28 de junho de 2011

Corrida Goyesca...

Publicado a 28 de Junho de 2011
O clarim tocou e, por momentos, parecia que se tinha viajado no tempo e no espaço… Cinco horas da tarde, praça cheia… Pela porta das quadrilhas, da Monumental “Ilha Terceira”, saíram os dois “Aguacilles” que comandaram o tradicional “Paseillo” daquela que foi a primeira Corrida Goyesca realizada em território português. No cartel os nomes de Uceda Leal, Julian Lopez “El Juli” e Leandro. Curro da ganadaria de Rego Botelho.

O nº43 (490Kg) coube em sorte a Uceda Leal. O toiro revelou-se, desde cedo, brusco na investida. Com o desenrolar da lide foi-se parando e descaindo para as tábuas. O Matador levou o oponente até ao centro da arena com duas séries de Verónicas bem desenhadas.
Antes do tércio de Muleta, referência para o bom par cravado pelo bandarilheiro João Pedro Silva. Com a flanela vermelha, o madrileno traçou duas séries de Derechazos, bem ligados, aos quais se seguiu uma tentativa de ajudados pela esquerda. Apesar do decréscimo nas condições do novilho, a lide resultou sem risco, ficando a noção que poderia ter sido feito um pouco mais. O segundo do seu lote (RB nº 52, 480Kg) teve comportamento similar ao seu irmão de camada. Apesar de alguns momentos positivos quando trazido pelo lado direito, derrotava bruscamente pela esquerda indo a menos. Com o Capote viram-se Paróns templados seguidos de série de Verónicas. Uma vez mais, destaque para João Pedro Silva nas bandarilhas. Grande forma e grande noção dos tempos de lide tem este terceirense. Nesta segunda lide, Leal arrimou-se e mostrou um pouco da sua arte. Após boa série pela direita, seguiram-se Naturais profundos com a mão baixa a conduzir a violência do oponente. Lide esforçada e de entrega a deixar boa nota.

Na retina de todos ainda pairava o triunfo redondo alcançado por El Juli na Feira e S. João de 2009. Grande era a expectativa quanto à sua prestação. Primeiro por Verónicas plenas de temple e depois, no centro da arena, por Chicuelinas rematadas com vistosa Larga, o Matador recebeu o RB nº47 (450Kg). O toiro entregou-se à lide e mostrou fome pelo engano, no entanto a visível falta de força limitou bastante a sua entrega. Nas bandarilhas, destaque para os pares cravados por Álvaro Rodrigues. De Muleta, Juli armou taco e arrancou os primeiros “Olés!” com uma poderosa série pela direita. Pelo lado esquerdo esteve igualmente a gosto. Nota grande para a primeira série de Naturais rematados com Passe de Peito e Trincherazo. Durante a lide foi ajudando o oponente a vencer as suas limitações de força. Encerrou, já com a assistência rendida, por Circulares invertidos, trocando de mão pelas costas e rematando com poderoso Passe de Peito. O segundo do seu lote (RB nº 55, 475Kg) revelou-se pobre em nobreza e em condições de lide. Após um tércio de bandarilhas paupérrimo, o Matador procurou sacar alguma coisa com a Muleta. Nem mesmo pela esquerda, aquele que parecia ser o melhor lado, foi possível vislumbrar ligação na investida. Por vezes, nem mesmo os dotados conseguem tirar água de um poço vazio. Restou simular a Sorte Suprema.

Leandro surgia em praça, talvez, como o menos conhecido dos integrantes do cartel. Cedo começou a deixar boa conta de si através da boa série de Verónicas, templadas, com que recebeu o RB nº 53 (480Kg). O novilho foi cumprindo o que lhe era pedido e foi bandarilhado. Destaque para Jorge Silva, que no dia em que celebrava 10 anos de alternativa de bandarilheiro profissional, enfeitou o hastado com um grande par de bandarilhas. O seguidor de Montes desenvolveu uma boa lide, com entrega a sacar tudo o que havia no oponente, lidando ao longo de todo o perímetro do redondel. Esteve profundo a citar pelo lado direito e melhor a provar o novilho pela esquerda, desenhando cingidas séries de Naturais. O segundo do seu lote (RB nº33, 450Kg) cedo se mostrou distraído e andarilho, saindo das sortes. O Matador ligou-se e fez com que se fossem verificando melhorias de comportamento ao longo da lide. Novamente com o Capote, assistiu-se ao temple das Verónicas de Leandro. Após séries de muletazos por ambos os lados, com contínua saída das sortes por parte do oponente, concordou em trazê-lo para junto das tábuas. Em terrenos de dentro e na jurisdição do novilho, sacou duas séries de Derechazos, com muita plasticidade, às quais se seguiram outras duas pela esquerda, igualmente de fino recorte. Espremeu tudo o que havia na rês da divisa azul e branca. A lide resultou em crescendo, com o de Valladolid a arriscar, não se livrando de uma colhida sem consequências no final da lide.

Dirigiu a corrida Carlos João Ávila, que esteve demasiado rigoroso quanto à atribuição de música durante as lides. É facto que, para mandar a banda tocar, os toureiros têm que fazer por o merecer, não se caindo nos facilitismos a que normalmente se assiste. No entanto, a segunda lide de Leandro e o seu labor mereciam que se tivesse feito ouvir a Sociedade Filarmónica Instrução e Recreio dos Artistas.

Bruno Bettencourt

segunda-feira, 27 de junho de 2011

Corrida Goyesca - Video

Publicado a 27 de Junho de 2011

domingo, 26 de junho de 2011

Corrida Goyesca - Fotos

Publicado a 26 de Junho de 2011

Corrida à portuguesa com chuva à terceirense...

Publicado a 26 de Junho de 2011
A chuva insistiu em marcar presença durante a anunciada Corrida à Portuguesa, 3º festejo da Feira de S. João 2011. Após alguma ponderação inicial, fruto da degradação do piso da arena, os intervenientes decidiram prosseguir com o espectáculo, para gáudio da assistência que completava mais de metade das bancadas.
Terminadas as cortesias, foi dado a conhecer aos presentes o novo pasodoble da Banda da Sociedade Filarmónica Rainha Santa Isabel das Doze Ribeiras “Grupo de Forcados da Tertúlia Tauromáquica Terceirense”. Uma peça que homenageia o referido grupo e que foi composta por Durval Festa.

Apesar das condicionantes ao nível da arena, assistiram-se a bons momentos de toureio equestre. Exemplo disso foi a boa lide ministrada por Vítor Ribeiro ao primeiro do seu lote. O exemplar de Ortigão Costa (OC, nº3, 520Kg) mostrou boas condições de lide, empregando-se na luta. O Cavaleiro da margem sul rubricou uma lide de qualidade tirando partido da matéria-prima que tinha pela frente. Dobrou-se com o oponente e colocou-o para deixar ferros frontais com muita verdade. Com o nº281 de Veiga Teixeira (VT, 410Kg) teve que andar mais diligente, no entanto, mostrou que estava ali para o triunfo. Não suplantou a sua primeira prestação mas ainda assim esteve uma vez mais por cima do opositor. Encerrou com um Violino que se fez ouvir em todo o perímetro do redondel.

João Moura Jr teve pela frente um lote complicado. O nº247 (455Kg) de VT mostrou-se muito reservado investindo de curto dando a sensação que era “mal visto”. O de Monforte empregou-se e através da brega foi procurando interessar o toiro. Cravagens correctas numa lide com pouca história, sem comprometer. Com o nº60 de OC (480Kg) Moura Jr andou sóbrio. O cavaleiro foi tirando as distâncias ao hastado recorrendo a sortes à meia volta. Lide possível frente a um toiro que transmitia pouco, fazendo transparecer alguma mansidão.

Dúvidas ainda houvesse, tal como nas corridas anteriores, a cavalaria terceirense mostrou que é capaz de estar ao nível do que de bom se faz a nível nacional. Rui Lopes ajudou, novamente, a confirmar a regra. Frente ao bom exemplar de OC (nº79, 425Kg), que lhe coube em primeiro lugar, lidou com muito acerto e determinação. Arrimou-se e cravou com a cadência certa, sempre em crescendo. Esteve muito bem o ginete da Ribeirinha. O nº 82 de OC (490Kg), segundo do lote, foi crescendo ao longo da lide e colaborou com o que lhe era pedido. Lopes rubricou mais uma boa lide, fazendo esquecer o lamaçal que se havia formado na arena. Correu bem esta prestação onde foi vencendo, com inteligência, as adversidades.

Os Forcados Amadores da Tertúlia Tauromáquica Terceirense (GFATTT) pegaram a solo. Em alguns momentos a falta de coesão do grupo, no momento da ajuda, fez com que muitas das pegas não fossem concluídas ao primeiro intento. Álvaro Dentinho fechou-se à 3ª tentativa na cara de um forte OC que entrava pelo grupo dentro sem pedir licença. Nota para a boa intervenção de um dos companheiros, fulcral para o concretizar da pega. César Fonseca efectuou uma grande pega à primeira tentativa. Aguentou-se com determinação e fez o difícil parecer fácil. Helénio Melo, em dia de aniversário, chamou o toiro e agarrou-se bem ao segundo intento. Marco Fontes fechou-se à segunda, com boa ajuda dos seus companheiro, na tarde em que se despediu do grupo. Volta em ombros, plena de emoção, de um dos forcados que muito deram à jaqueta da Tertúlia Terceirense. Jorge Santos saltou a trincheira para pegar à segunda, com muito querer, o quinto toiro da ordem. Tomás Ortins fechou com chave de ouro a participação do GFATTT. Grande pega ao primeiro intento.

Bruno Bettencourt

Corrida à Portuguesa - Video

Publicado a 26 de Junho de 2011

sábado, 25 de junho de 2011

Prémios não entregues...

Publicado a 25 de Junho de 2011
A comissão organizadora da Feira de S. João 2011 optou por não proceder à entrega dos prémios que estiveram em disputa no Concurso de Ganadarias realizado ontem, dia 24 de Junho. Esta decisão resultou de todas as situações anómalas que pautaram o festejo do dia de S. João e que marcaram a corrida de forma pesarosa.

Bruno Bettencourt

Concurso de Ganadarias - Fotos

Publicado a 25 de Junho de 2011

Concurso com final amargo...

Publicado a 25 de Junho de 2011
O infortúnio selou uma tarde em que o triunfo estava em disputa. A corrida caminhava para o seu final e a praça, cheia até às bandeiras, aguardava de forma vibrante a cravagem do último ferro de João Moura Jr Já com o toiro colocado em sorte, o cavaleiro desmontou e o “Belmontim” caiu sobre a arena “colhido” por um ataque fulminante…

Anunciado o Concurso de Ganadarias, o público acorreu em massa à Monumental “Ilha Terceira”, como é habitual. Em discussão os prémios para Melhor Lide a Cavalo, Melhor Pega, Melhor Apresentação e Melhor Toiro.

Vitor Ribeiro abriu praça diante de um complicado toiro Palha (nº218, 490Kg). O produto da divisa azul e branca mostrou-se andarilho, desligado da lide e procurando as tábuas desde cedo. O Cavaleiro desenvolveu uma lide com mérito ligando-se ao toiro e a conduzir as bregas de forma inteligente, procurando sempre embeber o oponente na garupa da montada. Espremeu todo o sumo que havia no toiro e encerrou a sua prestação com um Violino que chegou às bancadas. O segundo do seu lote ostentava o ferro da Casa Agrícola José Albino Fernandes (JAF, nº273, 475Kg). O da divisa verde rubra mostrou-se colaborante e de investida pronta, no entanto foi perdendo qualidades com o decorrer da lide. Ribeiro conseguiu recriar-se de outra forma e lidou com mais brilho. Desempenho marcado por cravagens frontais, ao seu estilo, pisando muitas vezes terrenos de compromisso buscando o oponente.

O melhor lote da corrida coube em sorte a Tiago Pamplona. Tinha bons modos o exemplar de Rego Botelho (nº25, 450Kg), a proporcionar bom jogo e a crescer de comportamento ao longo da contenda. O Cavaleiro da Quinta do Malhinha desenvolveu uma lide de nível elevado, a cravar de frente e a medir bem as distâncias. Encerrou com 2 bons ferros de palmo que fizeram com que se ouvisse forte ovação. O Murteira Grave (nº91, 500Kg), 5º da tarde, também proporcionou boa peleja, empregando-se e a cumprir o que lhe era pedido. Apesar de não suplantar a sua primeira prestação, o Marialva esteve novamente por cima do oponente, ligando-se mais com a assistência. Mostrou entendimento e critério na escolha de terrenos, no entanto, mostrou menos precisão nas cravagens. Rubricou a sua prestação com dois Violinos bastante sonoros.

O exemplar de João Gaspar (ferro Irmãos Toste, nº 106, 545Kg), lidado por João Moura Jr, vinha bem apresentado mas parco de energia. Apesar de acolher ao cite, o toiro transmitiu pouco e foi-se defendendo, mercê da aparente falta de força. Moura Jr desenhou uma lide de muito agrado suplantando o adversário. Cravou com acerto e bregou, fiel à linha da casa de Monforte. Apesar da entrega, a lide não resultou com a emoção pretendia, virtude do fraco empenho do toiro. Para encerrar a corrida, saiu dos curros o nº 255 de Veiga Teixeira (525Kg). Bonita estampa a deste toiro que cumpriu, no entanto, com o desenrolar da luta foi-se mostrando reservado e com alguma dificuldade no membro posterior direito. A lide foi sempre em crescendo por parte do Cavaleiro. Destaque para o segundo ferro curto a consentir a investida do toiro e a cravar no momento exacto. Após a cravagem dos curtos rematou com um ferro de palmo que agarrou em definitivo todos quantos assistiam nas bancadas. Repetiu com novo palmito que, ao bater na cravagem já colocada, caiu por terra. Na emenda e, quando ia iniciar o cite, a tragédia aconteceu e a montada, o “Bemontim” desfaleceu. Muitos foram os que ocorreram em auxílio na tentativa de reanimação do cavalo, mas nenhum do esforço efectuado resultou como pretendido. Acabava assim, com sabor amargo, a corrida.

No plano da forcadagem, abriu praça José Vicente, dos Amadores da Tertúlia Tauromáquica Terceirense (GFATTT), que com muito querer efectuou a pega da tarde. Pelo Aposento de Turlock (GFAT), Darren Moutain efectuou uma boa pega ao primeiro intento. César Pires dos Amadores do Ramo Grande (GFARG), com ajudas carregadas concluiu à 3ª tentativa, frente a um toiro que pediu contas aos forcados. Álvaro Dentinho (GFATTT) foi derrotado à primeira tentativa e viu-se impossibilitado de repetir, uma vez que o exemplar JAF sofreu o primeiro revés da tarde partindo a haste direita após violenta investida na trincheira. Fernando Machado Jr (GFAT) fechou-se na cara do 5º da tarde, sem dificuldade, ao primeiro intento. Mercê do sucedido com a montada de Moura Jr., o último toiro da corrida, que cabia ao GFARG, ficou por pegar. Pelo mesmo motivo, a entrega de troféus ficou adiada para a terceira corrida da feira.

Bruno Bettencourt

Concurso de Ganadarias - Video

Publicado a 25 de Junho de 2011

quinta-feira, 23 de junho de 2011

Corrida Mista - Fotos

Publicado a 23 de Junho de 2011

Fandiño e Lopes triunfam na abertura...

Publicado a 23 de Junho de 2011
Tarde de sol a brindar a Corrida Mista que abriu a Feira de S. João 2011. A Monumental “Ilha Terceira” acolheu cerca de ¾ de espectadores que puderam assistir a um bom espectáculo.

Imposições contratuais, aeroportuárias e contingências insulares levaram a que, ao contrário da ordem natural do espectáculo, fosse Alejandro Talavante a lidar os dois primeiros novilhos da tarde. O primeiro do seu lote (Rego Botelho) entregou-se à lide mostrando recorrido pela direita, no entanto quando conduzido pelo lado esquerdo, o hastado cortava-se por dentro.
Na sua estreia em Angra do Heroísmo, Talavante recebeu por Delantales e Chicuelinas, dando assim início a uma lide agradável mas sem deslumbre. Com a Muleta provou o oponente por ambos os lados. Destaque para a última série de Derechazos que resultaram vibrantes e foram o culminar da crescente profundidade que foi sendo conseguida ao logo das séries.
Recebeu o segundo da tarde por Verónicas. Ivan Fandiño, ao quite, lanceou com um misto de Gaoneras por trás e Chicuelinas que fizeram com que o agrado das bancadas se fizesse ouvir. Com a muleta teve pouca história. Após uma primeira série de Derechazos, e quando se vislumbrava um crescimento comportamental do exemplar de Rego Botelho, este lesiona-se no membro anterior esquerdo e é recolhido. Após saída do novilho pela porta dos curros, Talavante abandonou a arena angrense sob uma mistura de assobios e palmas. A sorte (ou o azar) teima em marcar a relação entre o Matador extremenho e a aficion terceirense.

Ivan Fandiño debutou em terras atlânticas vestindo Espuma do Mar e Ouro. O exemplar de Rego Botelho que lhe coube em sorte galopava ao cite e, apesar de mostrar uma investida áspera, foi bem conduzido pelo Matador. Após bonita série de Verónicas, deu lugar aos bandarilheiros que cumpriram o segundo tércio. Destaque para o par cravado por João Pedro Silva. Já com a flanela vermelha, Fandiño baixou a mão e foi templando a brusquidão do oponente. Levou o novilho até ao centro da arena e foi desenhando pela direita. Com a muleta ao natural fez-se ouvir “La Virgen de La Macarena”. Em sintonia com o solista da Banda da Sociedade Imparcial 15 de Janeiro de 1898 de Alcochete, foi-se bordando toureio na arena numa lide profunda e de entrega a trazer aroma de triunfo.
O sexto da tarde foi recebido com vistosas Cordobinas e Chicuelinas. No tércio de bandarilhas destacou-se novamente João Pedro Silva. Reparo para a prestação negativa de Nuno Boga que prestava provas para Bandarilheiro Profissional. O exemplar da divisa Azul e Branca cumpriu apesar da pouca largura de investida. Fandiño foi lanceando de uma forma menos fluida em relação ao que tinha feito na sua primeira prestação. Com Manoletinas, fechou uma lide de labor onde tentou espremer todo o sumo do oponente. Merecida a ovação e ambas as voltas à arena com que foi agraciado.

Tiago Pamplona lidou um bom exemplar da Casa Agrícola José Albino Fernandes. O toiro por vezes parava-se ao longo da lide mas, sempre que solicitado pelo Cavaleiro, mostrava bravura na investida. O Marialva desenvolveu uma lide acertada e sóbria que, apesar de não chegar em pleno às bancadas, foi pautada pelo entendimento sobre as exigências do oponente. A destacar a cravagem do seu 3º ferro curto, citando de praça a praça e cravando com raça e de acordo com as regras.

Rui Lopes rubricou a mais completa lide da tarde. Cedo se ligou ao exemplar de João Gaspar (ferro Irmãos Toste) mostrando entrega e coração. O toiro saiu com gás e investia de pronto, no entanto, em alguns momentos, demonstrou uma investida curta no momento da reunião, mas sem dificultar. O Cavaleiro da Ribeirinha andou ligado com o oponente e foi cravando a gosto. A cravagem curta foi indo em crescendo, fazendo ouvir-se a ovação após o seu 3º ferro. Encerrou com um palmito e agarrou em definitivo a assistência. Ao contrário do que já se havia visto esta temporada, a ligação de Lopes com as montadas e o entendimento dos tempos de lide estão num patamar de acerto elevado.

João Pamplona lidou o último exemplar da tarde, pertença de João Gaspar (ferro Irmãos Toste). Apesar de bem apresentado, este novilho-toiro (nº124, 545Kg) revelou-se mau de comportamento. Cedo procurou tábuas e um pouco desligado da lide. João mostrou que também estava em praça para competir e andou sempre por cima do oponente. Ao longo das cravagens foi-se arrimando e mostrou a sua característica arte e irreverência. Não só andou ligado com o toiro, através de bregas bem executadas, mas também se ligou às bancadas. Encerrou com um bom e sonoro ferro curto.

As pegas estiveram a cargo do Grupo de Forcados Amadores do Ramo Grande. Abriu as hostes André Parreira que efectuou a pega da tarde, fechando-se à barbela e não mais largando. Miguel Pires efectuou rija pega à 2ª tentativa e Nuno Pires pegou à 1ª tentativa sem comprometer.

Nota final para todos aqueles Velhos do Restelo que franziram o nariz quando viram uma corrida da Feira de S. João composta “apenas” pelos Cavaleiros locais:
Aos que foram à Corrida simplesmente para ver Talavante, a sorte trocou-lhes as voltas. A verdade é que o viram, ver o seu toureio é que foi outra história… Por outro lado, assistiram a três cavaleiros que desenvolveram lides sérias e de entrega, dignas de qualquer praça de toiros deste nosso país e capazes de ombrear com qualquer dos nomes mais sonantes da cavalaria tauromáquica nacional.
Aos que não foram: resta-lhes ouvir quem foi…

Bruno Bettencourt

Corrida Mista - Video

Publicado a 23 de Junho de 2011

quarta-feira, 22 de junho de 2011

Festival para Crianças e Idosos - Videos

Publicado a 22 de Junho de 2011

Festival para Crianças e Idosos - Fotos

Publicado a 22 de Junho de 2011

Corrida Mista

Publicado a 22 de Junho de 2011



terça-feira, 21 de junho de 2011

“¿Por qué Morante?” apresentado em Angra do Heroísmo

Publicado a 21 de Junho de 2011


A obra “¿Por qué Morante?”, da autoria do jornalista e escritor Paco Aguado, é apresentada pelas 11h00 do dia 23 de Junho na sede da Tertúlia Tauromáquica Terceirense.
A obra, que tem como protagonista Morante de la Puebla, relata a evolução do toureio deste matador sevilhano, desde os primórdios da sua carreira até aos dias de hoje.
Segundo o autor, esta obra procura “explicar e analisar a técnica de Morante, as suas motivações mentais e artísticas que moldam a sua personalidade dentro da arena, partindo de um ponto de vista taurino, mas que possa ao mesmo tempo ser compreendido em todo o mundo.”
Ao longo de 200 páginas, além das palavras do escritor, podem ser encontradas bonitas fotografias captadas por vários fotógrafos ao longo das diferentes épocas de Morante de la Puebla.

Feira de S. João 2011 em directo

Publicado a 21 de Junho de 2011
A VITEC irá transmitir em directo as quatro corridas de toiros que compõem a Feira de São deste ano. Assim acedendo ao site www.azorestv.com poderá assistir com qualidade à Melhor Feira Taurina de Portugal. Os comentários serão da responsabilidade de Duarte Bettencourt, Pedro Correia e Adão Rocha, com entrevistas da jornalista Andreia Pereira.


Relembrando os cartéis, poderá assistir a partir das 18 horas e 30 minutos, do dia 22 de Junho, à lides de Tiago Pamplona, Rui Lopes e João Pamplona no toureio a cavalo e às lides de Alejandro Talavante e Ivan Fandiño no toureio a pé, as pegas estarão a cargo do Grupo de Forcados Amadores do Ramo Grande. Lidam-se toiros de Rego Botelho, Casa Agrícola José Albino Fernandes e João Gaspar.


No dia 24, dia de São João, à mesma hora, teremos em cartel os cavaleiros Victor Ribeiro, Tiago Pamplona e João Moura Jr, num concurso de ganadarias com as casas de bravo de Palha, Murteira Grave, Veiga Teixeira, Rego Botelho, Casa Agrícola José Albino Fernandes e João Gaspar, pegam os Amadores da Tertúlia Tauromáquica Terceirense, Aposento de Turlock e Ramo Grande.


No dia seguinte pelas 18 horas e 30 minutos, lidam-se toiros das ganadarias continentais de Veiga Teixeira e Ortigão Costa pelos cavaleiros Victor Ribeiro, João Moura Jr. e Rui Lopes. Pegam em solitário o Grupo de Forcados Amadores da Tertúlia Tauromáquica Terceirense.


No dia 26 de Junho, pelas 17 horas, a lide dos toiros de Rego Botelho estarão a cargo dos matadores de toiros Uceda Leal, Julian Lopez "El Juli" e Leandro.


Estão misturados todos os ingredientes para que as transmissões da VITEC sejam um sucesso, por isso se se encontra fora da ilha e deseja acompanhar em directo ao desenrolar da Melhor Feira Taurina de Portugal, aceda a www.azorestv.com.

segunda-feira, 20 de junho de 2011

Espectáculo para idosos e crianças adiado

Publicado a 20 de Junho de 2011

Devido ao mau tempo, o Espectáculo para Crianças e Idosos será realizado amanhã, dia 21 de Junho, pelas 11h, na Praça de Toiros Ilha Terceira.
O jovem toureiro Juan Pedro Garcia «Calerito», de 10 anos de idade, natural de Aznalcollar (Sevilha), é considerado uma das grandes promessas do mundo taurino.
O espectáculo contará também com a presença de João Pamplona na lide a cavalo e com o Grupo de Forcados Juvenis da Tertúlia Tauromáquica Terceirense. As reses serão da ganaderia Rego Botelho.



quarta-feira, 15 de junho de 2011

Exposição "Terceira, Terra de Toiros"

Publicado a 15 de Junho de 2011

A Sala de Destaques do Museu de Angra do Heroísmo acolhe, de 16 de Junho a 09 de Outubro, a exposição "Terceira, Terra de Toiros".

Aqui fica a sinopse do evento:

"A população da ilha Terceira mantém, nos dias que correm, uma relação tripla com o toiro absolutamente distintiva e única.

De facto, nesta ilha, vamos a uma toirada de praça, temos toiradas à corda e, porque no fundo é disso que se trata, enfeitamos o bezerro para o sacrifício nas festas do Espírito Santo, destinado às esmolas de carne e à função.

Diversão, festa e sacrifício convivem aqui, com raízes conhecidas desde a antiguidade mais remota, e deles a comunidade obtém, do ponto de vista social e anímico, efeitos diferentes.

É a ideia de que o animal, parceiro do quotidiano e do divertimento, é, também, o animal que se consome – no tempo do Espírito Santo, de forma claramente ritualizada.

Assim, talvez se possa concluir que, entre nós, se resolveu aquela aparente oposição entre o Boi, que é, símbolo de sacrifício, abnegação e castidade, e o Toiro, símbolo da força e do poder fecundador da vida renovada."

Foto do Mês - Junho de 2011

Publicado a 15 de Junho de 2011
Cortesias - Angra do Heroísmo, primeira metade do séc. XX

domingo, 5 de junho de 2011

Touradas à Corda em Junho

Publicado a 05 de Junho de 2011

Quinta-feira, 02 de Junho
Largo de São João, Lajes
Herdeiros de Ezequiel Rodrigues (bezerrada)

Sexta-feira, 03 de Junho
Ladeira Branca, Santa Luzia
Nelson Toste

Largo de São João, Lajes
Herdeiros de Ezequiel Rodrigues

Sábado, 04 de Junho
Ladeira Branca, Santa Luzia
Humberto Filipe
Nelson Toste

Largo de São João, Lajes
Herdeiros de Ezequiel Rodrigues

Domingo, 05 de Junho
Canada Nova, Santa Luzia
Humberto Filipe

Segunda-feira, 06 de Junho
Pico da Urze, São Pedro
Humberto Filipe

Terça-feira, 07 de Junho
Espigão Velho, Posto Santo
Humberto Filipe
Casa Agrícola José Albino Fernandes

Sexta-feira, 10 de Junho
Bairro do Corpo Santo, Conceição
Casa Agrícola José Albino Fernandes

Sábado, 11 de Junho
Caminho Velho de Sto. Amaro, Ribeirinha
Casa Agrícola José Albino Fernandes

S. João de Deus, Santa Luzia
Humberto Filipe

Terreiro, São Mateus
Casa Agrícola José Albino Fernandes

Domingo, 12 de Junho
Bairro Joaquim Alves, Santa Cruz
Humberto Filipe

Segunda-feira, 13 de Junho
Terreiro, Terra-Chã
Eliseu Gomes

Ao Lugar, Altares
Casa Agrícola José Albino Fernandes

S. João de Deus, Santa Luzia
Humberto Filipe (bezerrada)

Terça-feira, 14 de Junho
Largo da Igreja, São Bartolomeu
Daniel Nogueira

São Luís, São Bento
Francisco Sousa

Quarta-feira, 15 de Junho
Terreiro do Paço, Ribeirinha
Manuel João Rocha

Terreiro, São Mateus
Casa Agrícola José Albino Fernandes

Quinta-feira, 16 de Junho
Rua do Rossio, Santa Cruz
Herdeiros de Ezequiel Rodrigues (bezerrada)

Sexta-feira, 17 de Junho
Rua Dr. Aníbal Bettencourt, Conceição
Humberto Filipe

Caminho D’Além, Terra-Chã
Eliseu Gomes

Rua do Rossio, Santa Cruz
Herdeiros de Ezequiel Rodrigues

Sábado, 18 de Junho
Outeiro, Conceição
Eliseu Gomes
Manuel João Rocha

Prainha, Sé
Rego Botelho (bezerrada)

Rua do Rossio, Santa Cruz
Herdeiros de Ezequiel Rodrigues

Domingo, 19 de Junho
Porto das Pipas, Conceição
Casa Agrícola José Albino Fernandes
João Cardoso Gaspar
Gabriel Ourique
Manuel João Rocha

Segunda-feira, 20 de Junho
São João de Deus, Santa Luzia
Humberto Filipe

Largo da Igreja, São Bartolomeu
Rego Botelho
Herdeiros de Ezequiel Rodrigues
Humberto Filipe
Nelson Toste

Terreiro, Raminho
João Cardoso Gaspar
Gabriel Ourique

Terça-feira, 21 de Junho
Terreiro, São Mateus
Eliseu Gomes

São Luís, São Bento
Rego Botelho

Largo da Fonte, São Sebastião
Herdeiros de Ezequiel Rodrigues

Rua de São João, Sé
Francisco Sousa (bezerrada)

Quinta-feira, 23 de Junho
Cantinho, São Mateus
Rego Botelho
Humberto Filipe
João Cardoso Gaspar
Gabriel Ourique

Terreiro do Paço, Ribeirinha
Casa Agrícola José Albino Fernandes

Sexta-feira, 24 de Junho
Alto das Covas e Rua de S. Pedro
Eliseu Gomes (espera de gado)

Sábado, 25 de Junho
Porto de São Fernando, Porto Martins
Humberto Filipe

Domingo, 26 de Junho
Avenida Infante D. Henrique, Conceição
Rego Botelho
Casa Agrícola José Albino Fernandes
Herdeiros de Ezequiel Rodrigues
Humberto Filipe

Segunda-feira, 27 de Junho
Bicas de Cabo Verde, São Pedro
Eliseu Gomes

Terça-feira, 28 de Junho
Rua da Igreja, Ribeirinha
Casa Agrícola José Albino Fernandes
João Cardoso Gaspar

Porto de pescas da Vila Nova
Gabriel Ourique

Quarta-feira, 29 de Junho
Terreiro, São Mateus
Herdeiros de Ezequiel Rodrigues

Nossa Senhora da Ajuda, Vila Nova
Gabriel Ourique

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More